terça-feira, 30 de setembro de 2008

Sociedade insociável

Olá amigos leitores,

Inicio agradecendo a todos vocês que se desprenderam momentaneamente das suas atividades - produtivas ou não - para lerem aquilo que um humilde, ou devo dizer, reles estudante de ensino médio tem a escrever.
Intuitivamente e também de modo proposital, fiz minha abertura com um agradecimento. O agradecimento é uma planificação da cortesia, e a cortesia por sua vez, é o fermento da sociedade pacífica e evolutiva.

Deixem-me explicar.
Estou frustrado. Ao crescer e tanger a compreensão da realidade social tive a convicção de que algo na sociedade não condizia com os valores transmitidos por meus pais. O há de errado é irrelevante citar, basta ligar a televisão em qualquer noticiário, ou então, caminhar pelas ruas e facear a discrepância de realidade entre os indivíduos. Alguns culpariam o capitalismo; outros –“mais objetivos”-, diriam que os culpados são as mefistofélicas potências mundiais, há aqueles que se restringem a dizer que é o sistema. Ignorantes, todos. Ignoram que a culpa pelos males e desigualdades sociais são provenientes dos seus segmentos: as pessoas. Então o que você acaba de concluir está certo. Sim, a culpa é sua; a culpa é minha também, ela é de todos nós. Cometemos os mais variados atos, algumas vezes aqueles ditos “errados”,ou seja, antiéticos. Estes guardamos em nosso âmago, pois nos envergonha saber que contribuímos à manutenção do mundo que criticamos.

Mas se a corrupção é mantenedora desta realidade e Rousseau estava certo em sua teoria, quais os fatores que levam o homem a ser corrompido? A educação, e, esta vem de berço. Cabe saber qual é a educação que é dada em nossa realidade – o Brasil.
No amado país em que as pessoas alienam-se ao assistirem a telenovelas – a escola das más maneiras (inveja, armações, intriga, vulgaridade); negligenciam ações infames de governantes; repudiam o sucesso alheio enaltecendo até mesmo ações inaceitáveis (colunistas aprovando o assalto ao apresentador Luciano Hulk); e o dinheiro compra a liberdade, não é possível escapar à corrupção.

Estamos então, condenados ao circulo errôneo dos valores de nosso meio, estamos acabados, entreguemos os pontos. Não, evidentemente esta não é a finalidade de tudo isso. Busco o primeiro passo para a mudança, livre da demagogia de amar a todos incondicionalmente, confiar todas as nossas fichas num ser supremo e fechar os olhos à realidade - nossa missão é agir. Acredito ser a cortesia, a mesma citada acima, a chave da porta para um recomeço coeso. O homem cortês não inspira inveja, não frustra ao próximo, não ofende seu semelhante. O homem cortês é respeitador, educado, agradável. E este é o segredo do sucesso nas relações interpessoais.

Se continuarmos no ritmo atual entraremos em colapso, a sociedade se tornará insociável. Chico Anísio bem resumiu em Monólogo: mundinho merda. Talvez eu esteja errado, mas esta é a minha opinião. A única coisa que sei e pude concluir nessa prolixa e talvez incompreensível reflexão é: sou um ser humano, pois vivo consciente de minha doença - “síndrome de agir incorretamente”-, sou conhecedor da cura e morrerei enfermo.

Lamentavelmente, estamos todos doentes.

7 comentários:

Davi disse...

mais um blog pra eu visitar haha

gostei, concordo e sempre pensei da mesma forma.

Trita. disse...

Um bom amigo uma vez me disse que a gente vê o mundo exatamente como a gente quer.

Não me disse mais nada. Concluí que as minhas frustrações - que me parecem as mesmas que as tuas - são fruto de uma vontade de querer curar algumas feridas do mundo. Talvez vontade de só observar enquanto ele definha sozinho. Na verdade não é o mundo a definhar, mas a sociedade.
...

Eita... blogueiro brota que nem maria sem vergonha.
abraçao

Márlio disse...

Mais um blog em nossa pequena e frutífera comunidade de discussões na internet! Coisa boa, e sendo blog de quem é, acho que só vem texto bacana pela frente.

Sobre a sociedade, não tenho muito a declarar, não: o ser humano, enquanto coletivo, é uma merda. Ponha um ser humano em uma sala vazia e ele vai se sentir só; ponha dois, e eles vão sentir que é pouco; ponha três e eles vão inventar a intriga; ponha quatro, e eles criarão de novo a escória; deixe cinco ali, e você vai poder observar como as guerras começaram.

Mas, acredite se quiser, eu tenho muita esperança no homem.
Porém, como diz uma pessoa importante da minha vida: "Se a esperança é a última que morre, a primeira é a paciência".

Coragem!

André disse...

Bem vindo ao mundo meu caro.

Davi disse...

ta na hora de atualizar
hahaha

germanbynature disse...

heey broo what up :D:D found your HP in msn ;).. u still have that picture taken on the day before the ball in your suit.. :D i have one for my presentation for this brazexchange too, just in white, you remember? :D:P
i will call you soon sometimes ;) when are you online.. just say something bye

Rafaela disse...

Mateus tu sabe o quanto eu te admiro e o quanto eu gosto de ti.Achei bonito o que tu escreveu e concordo com cada palavra.Beijos!